terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Roupeiro | O que é suposto usar?

Todos os anos é uma desgraça escolher a roupa para a Passagem de Ano.
Fica bem? não fica? demasiado curto? com ou sem brilhantes? saltos altos? ou rasos?
Este ano a minha dor de cabeça aumentou por saber que vou passar metade da noite em casa e a outra na rua.
Por isso, todos os outfits que tinha planeado estão com frio ou sujeitos a chuva. Visto essa situação, estas são as minhas propostas para o outfit da noite mais glamurosa e fria do ano!

Comecei pelos sapatos, sabendo que o básico e o preto de certesa iriam estar presentes, com a opção de dois pares de sabrinas adivinhando uma noite longa para prevenir as dores nos pés.

 

 Não sou grande fã de brilhos e peças extravagantes. Muito menos por dar balurdios por peças de bijuteria, mas confesso que este ano foi ano de algumas loucuras e há algumas peças que certamente vão estar presentes.

Para propostas de outfit tenho duas mais fansy, duas mais casuais.
Esta a tornar-se a decisão mais dificil, porque gosto das quatro. Mas só vou decidir na altura porque vai depender muito do estado do tempo amanhã.

Não podia deixar de estar presente (e de certesa absoluta que vou usar) a tipica peça de langerie azul para dar sorte.

Espero que não tenham tido problemas a escolher o vosso outfit.
 FELIZ ANO NOVO!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

SUPER SINCERA | O Natal mais triste de há memória

 A última década foi palco de uma guerra discreta entre o Menino Jesus e o Pai Natal. O Menino Jesus tinha sido quase completamente eclipsado pelo Pai Natal e há uns anos um grupo dos seus apoiantes decidiu contra-atacar.

Foi nessa altura que apareceram aqueles estandartes vermelhos com o Menino Jesus dourado que as pessoas punham nas varandas para competir com os Pais Natais todos a subirem pelas fachadas dos prédios, mas o Pai Natal continuou à frente na corrida. A razão é fácil de perceber: não há filmes onde apareça o Menino Jesus a descer pela chaminé e a pôr prendas nos sapatinhos. E a figura seria ainda mais inverosímil do que a do Pai Natal, com aqueles trajes menores na noite mais fria do ano.

O Pai Natal tem um ar de avô, de folião, é uma força da Natureza, um bom gigante. Ver um recém-nascido de auréola dourada e de fralda a carregar com brinquedos é impossível de imaginar. Nem se percebe por que razão um recém-nascido daria prendas a alguém, enquanto um avô a dar prendas é natural.

A mãe de uma amiga minha, crente fervorosa nos poderes do Menino Jesus (nunca percebi bem isto no catolicismo, de haver uns crentes no Menino Jesus, outros que põem a sua fé no Cristo crescido e outros só no ressuscitado, outros mais virados para a Nossa Senhora das Dores, outros para a Nossa Senhora de Fátima) sente qualquer referência ao Pai Natal como uma punhalada. “Ai o meu rico Menino Jesus”, suspira. “Já ninguém fala do Menino Jesus”. Disse-lhe uma vez, para a consolar, que o Pai Natal também era santo, que era o grego S. Nicolau numa produção americana, mas a referência não pareceu aliviá-la e olhou-me com ar desconfiado.

Primeiro pensei que a sua preferência era de ordem teológica, mas acabei por compreender que tem mais a ver com uma questão de classe e um tudo-nada com a estética. O Menino Jesus é branco e dourado, um anjinho rosado, sem asas mas com uma auréola que lhe dá ainda mais superpoderes e longos caracóis leves e louros sobre a fronte. Depois, nasceu já com cerca de um ano e meio, o que lhe dá um ar vigoroso e fofinho e um olhar vivo e doce, em vez do ar frágil e desconjuntado dos recém-nascidos normais. O Menino Jesus é mais queque, adivinha-se-lhe um enxoval de gosto irrepreensível, fitinhas azuis de cetim, babetes de cambraia bordados à mão, mantinhas de alpaca azul-bebé e ainda tem aquelas prendas de um inexcedível bom gosto dos padrinhos Reis Magos, naqueles cofres pequeninos de prata cinzelada, que são um património.

O Pai Natal pode ser simpático mas há algo de vulgar na sua pose. É gordo, está sempre a correr de um lado para o outro, sempre a chicotear as renas e a saltar pelos telhados e a carregar sacos. Com aquela roupa de lã e aquelas botas deve suar como um cavalo e cheirar como um cossaco. A sua higiene não inspira confiança e o seu gosto é duvidoso. Porquê a cabeleira à Demis Roussos? Com que frequência é que ele lavará aquele cabelo? E aquele ar rubicundo de onde virá? Não haverá ali algum excesso de cerveja? Isso explicaria o riso a propósito e despropósito. Há algo de pouco cristão naquelas gargalhadas, como diria Jorge de Burgos. E o excesso de peso? Por que é que tem sempre de falar tão alto? Há muito de novo-rico naquele espalhafato. A verdade é que o Pai Natal tem um ar um pouco inconveniente, nem conhecemos a família dele, tudo o que veste tem um ar discount e não é uma pessoa como nós.
O Menino Jesus é tudo o que o Pai Natal não é. É discretíssimo, lindo, educado, sabe estar e não se pode ser de melhores famílias.

É verdade que o Jesus real tinha a pele muito escura, que os seus pais foram escorraçados de todos os albergues e que a mãe foi obrigada a dar à luz num estábulo no meio dos animais, mas isso são águas passadas que não vale a pena estar a lembrar porque todas as famílias têm as suas coisas. O Menino Jesus hoje é louro, e pronto. E o pai adoptivo, soube-se há pouco tempo, afinal nem era carpinteiro mas sim empresário do sector imobiliário. E a mãe era uma verdadeira senhora, elegantíssima e recatadíssima, que obedece e quase não diz nada durante toda a Bíblia.

Para as massas que andam nos centros comerciais, o Menino Jesus pode ter sido eclipsado pelo Pai Natal, mas as pessoas de qualidade ainda sabem distinguir. O Pai Natal está para o Menino Jesus como um supermercado para uma loja gourmet. Pode vender mais e ser mais conhecido, mas quem quiser qualidade, ser servido com atenção e num ambiente exclusivo, prefere ir à loja gourmet. É um bocadinho mais caro, mas é outra coisa.

Mas este ano aconteceu uma coisa surpreendente: tanto o Pai Natal como o Menino Jesus andaram desaparecidos. Quase ninguém os viu. Andam os dois envergonhados por nos terem incitado a comprar presentes para eles fazerem figura junto dos nossos filhos? Ou com vergonha dos muitos sapatos onde nem um nem o outro irão pôr prendas na consoada. Tanto um como o outro sabem que o Natal deste ano será o mais triste de que há memória.



in http://www.publico.pt/sociedade/noticia/o-natal-mais-triste-de-que-ha-memoria-1616540 

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Decoração

winter
Hoje a minha pouca inspiração levou-me para uma vertente decorativa. Escolhi elementos em preto e branco pois são os tons que tendencialmente sigo mais neste momento. Não podia deixar de referir o quadro com a fotografia e os elementos Zebra que não podiam deixar de estar presentes, mas também dar ênfase ás pinhas, que por ser inverno e, época natalícia faz todo o sentido que estejam presentes como elementos decorativos.


domingo, 8 de dezembro de 2013

Lifestyle | Shopping List

Compras, compras, compras. Tentei descontrair da semana de estudo intensivo e passei no Colombo para fazer algumas compras de Natal, verdade seja dita que fiz compras para toda a família, mas acabei também por comprar imensos presentes para mim!
Esperem para ver! 

H&M : Verniz Matte Top Coat / Anéis Prateados
Berska: Anéis Dourados
Primark: Fios Dourados / Sweat branca / Top preto
 
 
 

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Outfit | With Love

 


  


 
joelharia: vintage / sweat: zara / calções: primark / collats: primark / botas: foreva

Hoje decidi trazer-vos uma peça muito feminina porque estou in love por estes collats da primark!
Comprei-os há já algum tempo mas só hoje decidi fotografar com eles. Adoro facto de terem corações por todo o lado!

Boa noite   


quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Hello December

 
 
Hoje decidi vir dar uma espreitadela ao meu blog.
Acho que a generalidade das pessoas nesta altura do ano letivo se deve queixar da mesma falta de tempo pois tanto exames com trabalhos consomem a maior parte do nosso tempo útil. Por isso não tem sido fácil conjugar tudo, por enquanto.
Por essa razão hoje vim dar oficialmente as boas vindas ao mês de Dezembro, um dos meus meses favoritos pois é o mês do Natal, da família, da união, dos docees e também o mês dos aniversários ca em casa!
 
Boa sorte para quem esta em avaliações.


Instapics | November